Fugas

O céu está de novo escurecido. Negro. Sinto-me morto. Sem vida. Vazio. Sopra o vento, deixa o sol queimar-te. Verás que a dor dissipar-se-á. Estás fraco. Estás seco… O ar liquefaz-se, o cenário asfixia-me. Sinto-me num contra-senso. Começo a correr para longe, sem destino.

A salvação aguarda-me algures, ou talvez em nenhures. Isso, corre, foge, abandona. Mais te afastas mais te aproximas do abismo sem retorno a ti. As vozes recomeçaram. Aumentam cada dia que passa. Cerro os olhos com toda a força que tenho e começa a socar os ouvidos.

Cada vez com mais força, talvez a raiva as faça desaparecer… Não consigo adormecer. Não consigo comer. Só consigo morrer.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s